ONE NIGHT #1

Sinopse: Livy repara nele no momento em que entra no café. Ele é deslumbrante, imponente, com uns olhos azuis tão penetrantes que ela mal dá conta do pedido. Quando sai pensa que nunca mais voltará a vê-lo.
Até que descobre a nota que deixou no guardanapo, assinado “M”.
Tudo o que ele quer é uma noite para amar. Sem ressentimentos, sem compromissos, apenas prazer sem limites. Olivia e Miller. São tão diferentes como o dia da noite. O desejo entre eles é inegável.
Ele é distante, agradável e misterioso: sabe sempre o que quer e o que quer é Livy. Ela é doce e atenta, uma jovem dos dias de hoje. Deseja ser feliz e amada, mas quando Miller entra na sua vida  ela percebe que perdeu o controlo sobre si própria e sucumbe à paixão desenfreada.
Livy deve ouvir o coração ou a razão? Ela sabe que para o ter de corpo e alma terá de enfrentar os segredos obscuros de Miller, mas também receia que isso lhe traga consequências devastadoras.

Esse livro é louquinho.
Sei nem o que falar, sinceramente, provavelmente vou protelar totalmente aqui, na realidade o livro não tem muito que se dizer, são as mesmas ocorrências só que em circunstâncias diferentes.
Olivia se entrega ao Miller. Miller é doce com a Olívia. Miller trata mal a Olívia. Olívia vai embora. Miller e Olívia passam dias sem se falar. Miller pega a Olívia de volta.
E assim vai...
O que eu acho muito curioso no livro é que o Miller tem uma obsessão por organização, olha que eu acho minha mãe exagerada, mas esse cara passa dos limites, ele odeia que algo esteja ao menos um milímetro fora do lugar, parece até que vai ter um ataque.
A Olívia é um livro aberto, depois do Epílogo não precisava ser um gênio para saber sobre uma parte da vida dela, e ao decorrer do livro ela fala tudo, diferente do Miller que é um livro fechado num baú com milhões de cadeados e enterrado no fundo do solo.
Quando eu li a parte da sinopse em que diz quando ela o vê pela primeira vez ele deixa um recado após sair da cafeteria pra ela. Na minha mente eu estava imaginando altas insinuações, uma cantada, um número de telefone, qualquer porra desse tipo, mas não, ele simplesmente diz que aquele é o pior café que ele já tomou. Eu fiquei puta da vida, eu tacaria café quente na cara dele após ler isso.
E o engraçado é que eles passam a se encontrar constantemente em eventos que ela trabalha como garçom, tipo, eu nunca vi o cara na vida, ai eu acho ele um pecado em pernas e do nada o encontro A CADA SANTO DIA.
Devo admitir que passei a maior parte do tempo odiando o livro, odiando o modo que a Olivia nunca NUNCA diz não pro Miller, eu entendo, ele pode ser sexy e um Deus na cama, mas ele é um fechado, têm tantos mistérios em volta dele que se eu fosse a Olivia eu já teria caído fora.

Mas caaaara, o final desse livro arrasou total, eu fiquei pasma, eu NUNCA teria imaginado um final daqueles.

Deixe um comentário