Sinopse: A esposa de Dante – The Boss – Cavallaro morreu há quatro anos. Prestes a se tornar o mais novo líder da máfia de Chicago, Dante precisa de uma nova esposa, e Valentina foi escolhida para o papel.
Valentina também perdeu seu marido, mas seu primeiro casamento foi só de aparências. Quando tinha dezoito anos, ela concordou em se casar com Antonio para esconder a verdade: que ele era gay e estava apaixonado por um homem de fora da máfia. Mesmo após a sua morte ela guardou o seu segredo, não só para preservar a honra de um homem morto, mas também para proteger a si mesma. Mas agora que ela está prestes a casar com Dante, seu castelo de mentiras ameaça desabar.
Dante tem apenas trinta e seis anos, mas já é temido e respeita dona Família, e é conhecido por sempre conseguir o que quer. Valentina está apavorada que a noite de núpcias revele seu segredo, mas suas preocupações se provam infundadas quando Dante se mostra indiferente a ela. Logo o seu medo é substituído por confusão e indignação. Valentina está cansada de ser ignorada. Ela está determinada a conseguir a atenção de Dante, mesmo que ela não consiga ter o seu coração, que ainda pertence à sua falecida esposa.


      A primeira vez que eu li esse livro eu tive um ódio assassino pelo Dante, o modo que ele tratou a Valentina foi tão estupido.

      Dante tinha uma esposa, e eles eram loucamente apaixonados, mas ela morreu, então devido o seu posto na máfia ele deve ter uma esposa ao seu lado, e sua escolhida foi Valentina, o problema é: ele NUNCA esqueceu sua falecida esposa e não quer nada da Valentina, apenas que o seu sobrenome esteja nela.

      Valentina não tem sorte em casamentos, é azarada demais neste quesito, seu primeiro casamento foi com seu amigo e ele era gay, então ela nunca chegou a consumar seu casamento de verdade. Quando ela se casa com Dante ela acha que finalmente vai ter uma noite saboreando os prazeres da carne, mas NÃO, não pra azarada da Valentina, o Dante simplesmente deita e dorme, e isso segue repentinamente e ela fica devastada pensando no que há de errado com ela.

      A segunda vez que eu li, eu ainda tive certa raiva do Dante por ele não ser tão carinhoso ou amoroso  com a Valentina, mas foi quando eu me toquei que não é porque ele é indiferente a ela, mas sim que esse é seu jeito de ser e agir, então meu ódio foi pro espaço.

Deixe um comentário