Título: Lead
Série: Stage Dive #3
Autora: Kylie Scott
Editora: Universo dos Livros
Ano: 2016 / Páginas: 368

Sinopse: Embarque em mais uma aventura com os roqueiros sensuais de Stage Dive, a série New Adult de Kylie Scott, autora best-seller do The New York Times. Como vocalista da banda Stage Dive, Jimmy sempre teve tudo na hora que quis, fosse bebida, drogas ou mulheres, até que a destruição de sua reputação na mídia serviu de alerta e o conduziu à reabilitação. É neste momento que Lena surge em sua vida. Contratada para ser a assistente que tem como missão mantê-lo longe de problemas, ela não planeja aguentar desaforos do sensual roqueiro, e está determinada a manter a relação em nível estritamente profissional, apesar da química efervescente entre eles, até que Jimmy vai longe demais e Lena vai embora. Isso o faz perceber que talvez tenha perdido a melhor coisa que já lhe aconteceu. 


Olá amores 💜! Eu vim aqui trazer uma resenha com alguns trechos de um dos meus livros favoritos. Lead, terceiro livro da série Stage Dive. Quem conheceu o Jimmy no primeiro livro deve ter sentido certo ódio por tudo o que ele fez para a banda e o seu próprio irmão, David, ele era alcoólatra e uma maquina de destruição que arrastava todos com ele. Então, nos outros livros ele entrou na reabilitação e estava aparentemente bem, só que ele era muito fechado e a banda exigia ele ter uma assistente pessoal ao lado dele para impedi-lo de sucumbir à bebida e a drogas outra vez, senão ele seria expulso da banda.

Quando Mal conhece Lena ele percebe que ela é a mulher perfeita para domar o menino Jimmy.

- Você não parece muito impressionada comigo, Lena. Eu não sou impressionante para você?- Claro que é. Mas acho que estou um pouco ocupada agora sendo demitida para apreciar plenamente a magnitude do momento. Tenha certeza, mais tarde eu vou surtar.- Eu tenho a sua palavra?- Absolutamente.- Estou confiando em você aqui.

Depois do Mal convencer o resto da banda á aprova-la ela aceita o trabalho. A relação da Lena com o Jimmy se resumia a brigas, ele era todo frio e indiferente, mas quando a Lena começa a lhe dar olhares estranhos após o funeral da mãe do Mal ele toma uma decisão.

- Pare de me olhar estranho.- Eu não olho! [...]- Não, vamos lá! – Ele gritou. – Eu vi isso. Essa foi uma olhada.- Você está fazendo isso de novo! Eu não estou imaginando. Você está fazendo de novo. [...] Você está me olhando estranho o tempo todo.

Quando Lena admite estar apaixonada por ele, ele simplesmente ri dela, depois de pensar no assunto ele decide ajudar ela a odiá-lo e seguir algumas dicas de revista para esquecê-lo. E é aí que tem as melhores cenas, os encontros de Lena. O Jimmy é hilário com todos os encontros dela. Ele age de um modo que eu particularmente me surpreendi, foi totalmente o oposto do que eu imaginaria, as coisas que ele faz é bem a cara do Mal, só que mais discreto. Posso dizer que com certeza, esse foi o ponto alto do livro para mim.

O primeiro encontro dela foi o que o Jimmy arrumou com o Ben, baixista da banda. Ele vai deixar ela lá e simplesmente se se senta à mesa e começa a criticar a organização do Ben sobre o encontro. Quando a Lena tenta expulsa-lo, não funciona. Nem preciso dizer que o encontro com o Bem foi um fracasso total né?

O segundo encontro foi com o Reece, quem leu o segundo livro sabe que ele é amigo da Anne. Ex chefe dela.

- Eu não gosto da aparência dele.- Ele parece bom.- Não, há algo sobre ele.- Jimmy.- São os óculos, eu não confio nele. Acho que está tentando esconder alguma coisa.- Eu uso óculos.

Eu adoro o livro, adoro ver que a autora conseguiu mostrar esse lado lindo do Jimmy, obvio que ele ainda faz umas confusões e é um idiota a maior parte das vezes, mas você descobre coisas sobre ele fez que faz você adorá-lo de um modo arrebatador, coisas que ele não quer que ninguém saiba e que confidenciou a Lena.  Eu amo a escrita, a historia, o enredo, eu amo absolutamente tudo sobre esse livro. O fato da editora Universo dos Livros não ter mudado o nome é algo que eu aprecio imensamente. Então, eu mega recomendo a leitura para você dar algumas risadas, se apaixonar e se encantar. Eu sei que eu senti tudo isso e aposto que você também.

Quem gosta do Mal e de rir das coisas dele, não se decepcione. As cenas do baterista ainda é algumas das mais marcantes, afinal, o Mal ainda faz as palhaçadas dele e ainda é a alma da banda.

Deixe um comentário