Sinopse: Um romance moderno de motoqueiros. 
Addison teve uma vida dura. Sua mãe é inútil e seu pai não esteve na sua vida por anos. Quando sua mãe morre, ela a deixou sem dinheiro e um homem irritado atrás dela. Ela vai para a única pessoa que ela sabe que pode cuidar dela agora - seu pai. Ela sabe que seu pai é o presidente de um clube de MC, mas ela não chega a perceber o quanto ela vai vir a contar com esse clube. 

 Cade é tudo o que ela sabe que ela deve ficar longe e ainda assim ela não consegue parar de querer ele. Ele é o vice-presidente do clube, lindo, robusto, charmoso e ele a faz sentir de novo. Ela deveria estar correndo, ela deveria estar escapando dos demônios de seu passado, mas em vez disso ela se encontra caindo para o motoqueiro lindo. 
Venha neste romance com duas pessoas quebradas que descobrem como colocar um ao outro no eixo.



          Sendo honesta sobre os personagens, Addison é uma puta, não no sentido pegador e sim no modo comportamental, eu particularmente não a suporto. Ela sofreu o inferno na vida? Sofreu, mas não precisa ficar falando isso sempre, passou já. Parece que ela gosta de ficar lembrando e esfregando na cara das pessoas que ela teve uma vida fodida. Não dá pra ficar quieta e seguir em frente? Se eu fosse o Cadê eu já teria a mandado pastar.
          O Cade não é um príncipe encantado, mas tem a paciência de um santo. Eu particularmente gosto do livro pelas situações que vão ocorrendo ao decorrer da história, principalmente a parte em que a Addison é sequestrada, me julguem, eu gostei de ver ela se lascar pra abaixar a bola, parar de querer ser durona e aceitar ajuda das pessoas que oferecem sem pedir nada em troca, que oferecem por que se importam com ela.
         Ela criou um pedestal e não quer que ninguém atravesse. Então, é isso, eu não odiei o livro, apenas tenho algo contra a personagem principal, não vou dizer que ela não tem seus momentos decentes, mas ela também tem seus momentos vadia. Que não são poucos.

Deixe um comentário