Primeiro livro da série de maior sucesso da autora de Mil Beijos de Garoto.Aos vinte anos, Molly Shakespeare acha que já sabe de tudo.
Ela leu Descartes e Kant.Ela estudou em Oxford.Ela sabe que as pessoas que te amam também te deixam.Mas quando Molly se muda da cinzenta Inglaterra para começar uma nova vida nos Estados Unidos, ela descobre que ainda tem muito a aprender. No Alabama os verões são mais quentes, as pessoas mais intimidantes e os alunos de sua nova escola muito mais viciados em futebol.Após conhecer o famoso quarterback Romeu Prince, Molly só consegue pensar em seus olhos castanhos, cabelos loiros, físico perfeito... e em como sua vida tranquila e solitária parece estar a ponto de mudar drasticamente.

Sweet Home #1 • Romance • Selo Essência
320 páginas • 2018

Resenha

Doce Lar é o primeiro volume da série Sweet Home escrito pela magnifica Tillie Cole. A série está sendo publicada no Brasil pela Editora Planeta de Livros, no selo Essência. O livro conta a história de Molly Juliet Shakespeare e Romeo Prince. A história se passa na Universidade do Alabama, onde Molly estuda e trabalha como assistente da professora Ross na disciplina de filosofia, e Romeo um famoso jogador.
Molly Shakespeare... ei! Romeo e Shakespeare! Isso não é hilário?
Atrasada para a aula, Molly perdida em sua própria agitação acaba esbarrando em uma garota o que fez com que todas as coisas que estavam em sua mão se espalhassem pelo chão, mas por esse motivo um garoto com sotaque sulista a ajuda a encontrar os seus óculos e a colocá-lo organizadamente em sua face outra vez. Molly só não esperava que o rapaz fosse um típico garoto do Alabama de realmente boa aparência. E é assim que Molly tem o seu primeiro encontro com Rome.

Ela acredita que ele é obviamente do tipo jogador, que quebra corações por onde passa. Na noite de sua iniciação da fraternidade Molly descobre que Rome não é considerado apenas um aluno na universidade, ele é o quaterback titular do time de futebol da Universidade do Alabama, e futuramente irá para a NFL, além de que é completamente inatingível, misterioso e reservado. Molly não liga para isso pois ela não é adepta a esportes, e por vir da Inglaterra onde jogam diferentes estilos, ela não entende o alvoroço pelo futebol americano.
Acredito que estudo e conhecimento empoderam as pessoas, e não dinheiro, status, ou as roupas de marca que você usa.
Romeo Prince, ou Rome, é o garoto estrela da faculdade, o melhor jogador do time e favorito para entrar na Liga Nacional de Futebol, mas ele completamente cansado de as pessoas só quererem conhecer o “Canhão” que joga esplendidamente futebol, e não o verdadeiro Rome: Um Rome que é completamente indesejável por sua família e que sofre muita pressão para ser o filho obediente e submisso que os seus pais desejam. Por vir de uma família rica e importante, seus pais têm expectativas sobre ele, e desperdiçar seu tempo em um campo de futebol não é o que eles desejam e deixam isso bem claro a cada momento.
Um dia eu vou sair deste lugar. Um dia eu vou ser eu mesmo. Um dia... eu vou fazer o que eu quero.
Quando Rome conhece a pequena e tímida Molly que parece não saber nada sobre futebol e que não dá a mínima sobre como ele joga, ele sente que pela primeira pode se abrir com alguém e mostrar o seu verdadeiro eu. Desde o primeiro momento ele se sentiu atraído fisicamente por ela, mas ao conhecê-la ao decorrer dos dias isso fez ficar claro para ele que os seus sentimentos eram diferentes, que ela era diferente.
Você traz paz ao meu mundo completamente fodido. Você me entende; ninguém nunca me entendeu antes.
Ao decorrer do tempo, várias crises acontecem para que o casal se desestabilize e uma delas vem em forma de uma conhecida de infância de Rome, Shelly, a menina com quem os seus pais querem que ele se case. A garota simplesmente é odiosa da cabeça aos pés, mimada, nariz empinado e completamente obcecada com Rome e o fato de ele ser praticamente uma estrela. Mas no fim o grande vilão desta obra é a própria família de Rome, que nos mostrou em cada aparição deles o quão terríveis poderiam chegar a ser.  

O livro demostra muito a importância do futebol na vida de muitas pessoas, toda a pressão que envolve e crises familiares do pior tipo. As vezes eu odiava a forma que o Rome simplesmente deixava os pais fazerem as coisas com ele, mesmo que seja para proteger a Molly de sofrer todo aquele ataque. Ele tinha um bom ponto, então dá para relevar. Molly e Romeo são uma fofura de casal, ele com todo aquele jeito protetor, e que não perde a oportunidade de demostrar o quanto ele a ama e ela ao seu lado o apoiando em sua carreira e em sua vida pessoal. São uma boa dupla.
Ele não é só um jogador de futebol. Ele é a pessoa mais corajosa e carinhosa que já conheci. Ele me entende como ninguém nunca entendeu. Ele é minha alma gêmea. Ele é meu tudo.
Tillie Cole chegou ao Brasil para roubar o meu coração da forma mais positiva possível. Primeiro com o seu imenso sucesso com Mil Beijos de Garoto e agora com a série Sweet Home que traz uma abordagem mais intensa sobre alguns temas, com uma narrativa fluida e personagens apaixonantes. Esta é uma autora que eu leria até a sua lista de compras. Sempre terei coisas positivas para falar sobre esta autora e suas espetaculares obras.
Mais uma coisa certamente é igual. Que eu sinto por você o que Romeu Montéquio sentia por Julieta. Eu também abriria mão de tudo por você.

Quem acompanha as redes sociais da editora deve ter visto todo o alvoroço por causa da capa deste livro, eu entendi as referências na capa que seria publicada, mas confesso que o meu coração já pertence a essa então eu amei o fato da editora ouvir o público e manter a capa original. Editora assim merece meu carinho e muitas palmas pela atitude de reformular tudo mesmo quando o projeto já havia sido aprovado. Deixo aqui os meus sinceros agradecimentos pela escolha tomada. O acabamento é em brochura e suas páginas amareladas, eu não encontrei erros ao decorrer da leitura, então eu posso afirmar que tenho esse livro com muito carinho e orgulho na minha estante. 

 

 

Lar. Eu era o lar doce lar dele.

12 Comentários

  1. Oi Bruna! Foi mesmo um alvoroço quando a editora comunicou o lançamento deste livro, e uma confusão ainda maior em relação a capa. Eu não li o primeiro livro da autora publicado aqui, então não conheço a escrita dela. Quanto a este livro, eu particularmente gosto de histórias em que há o tema escolar, acho mais dinâmico e divertido durante a leitura. Os personagens são aquele oposto que a gente sempre gosta, um garoto popular e a garota que nem liga. O fato da família ser o grande vilão também me agrada muito, parece aqueles filmes de sessão da tarde. Valeu pela dica!


    Bjoxx ~ Stalker Literária

    ResponderExcluir
  2. Infelizmente esse universo de cara do time, garota tímida e a popular não me convence, acho uma trama muito sessão da tarde. Mas no geral que bom que a autora conseguiu roubar seu coração, eu ainda quero ler Mil beijos de garoto, mas esse eu passo a dica.

    Abraços.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Eu não gosto muito de histórias que envolvem futebol e todo esse universo, mas já senti compaixão pelo mocinho da história. Porque família pode ser um grande obstáculo para tudo em nossa vida. Geralmente são as pessoas que mais nos ferem, nos magoam e tentam nos impedir de avançar, de sermos nós mesmos. Eu que o diga! Sei bem o que é ter uma família terrível. Ainda que ame muito todos eles, muitas vezes sinto o mesmo desejo do mocinho de poder ir para bem longe. Me afastar de todo mundo.

    Espero que o protagonista tenha a força necessária para deixar a família para trás e seguir em frente com a mocinha.

    ResponderExcluir
  4. Olá! Ainda não li nenhum livro da autora, apesar das boas recomendações. Acho que esse livro é mais a minha cara. Gostei bastante da premissa e parece um romance com uma pitada de drama bem dosada.
    Bjs
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir
  5. Oie, tudo bom? Acabei que nem li "Mil beijos de um garoto" por acabar ficando MUITO famoso na blogosfera, aí enjoei... rs. Mas esse parece ter uma pegada mais interessante, e uns elementos que eu curto muito na leitura! Adorei!

    ResponderExcluir
  6. Eu gostei da premissa, mas como faço parte do pequeno grupo que não gostou de Mil beijos de garoto, não sei se arrisco esta leitura. Achei o projeto gráfico lindo, ma sé uma dica que vou passar.
    beijos

    ResponderExcluir
  7. Olá, ficou maravilhosa a sua resenha, deu até vontade de comprar logo Doce Lar mesmo que eu ainda não tenha lido Mil Beijos de Garoto que está na minha estante há um tempinho.

    ResponderExcluir
  8. Olá Bruna,
    Que bom que esse livro te agradou e que você o indique. Eu tive a oportunidade de fazer essa leitura e acho esse livro bastante problemático em vários sentidos, principalmente, com relação ao romance que é, claramente, abusivo. Também não gosto dos ataques de raiva que Rome tem.
    Já com relação a Mil beijos de garoto, este é querido para o resto da vida.
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Oie!
    Acredita que eu não gostei desse livro?
    Achei algumas situações muito forçadas nessa história, e também estou cansada de amor miojo, onde basta um olhar e eles já estão apaixonados.
    Claro que a história tem seus atrativos, mas não funcionou comigo :(
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    Sou apaixonada por essa série!
    Fiquei muito animada quando mantiveram a capa original, tanto que só comprei por causa disso.
    Amei a história de Romeo, mesmo ele não sendo o meu livro favorito da série.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  11. Oi.
    Já tinha visto alguns comentários sobre esse livro e já estava curiosa para ler, mas sua resenha aumentou mais ainda minha curiosidade.
    A história parece um pouco clichê, mas é o tipo de clichê que eu gosto. Só acho que eu poderia me incomodar um pouco com o Romeo deixando a família fazer o que quer com ele. Já me vejo passando raiva com isso durante a leitura, mas imagino que deve fazer parte da evolução do personagem
    Adorei a resenha e pretendo ler.
    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Eu li esse livro em inglês ano passado logo após fazer a leitura de Mil Beijos de Garoto. Amei tanto a história da Poppy que precisei ler outra coisa da autora, mas me decepcionei amargamente. Pra mim esse foi um dos piores livros que já li na vida, relacionamento extremamente abusivo, personagem falando que quer transar sem camisinha pq toma pílula (isso depois de acusar o cara de transar com todo mundo), o cara pedindo pra menina implorar e diálogos master problemáticos. Até hoje tenho as quotes salvas no Kindle porque eu ia fazer uma postagem bem malcriada, mas desisti.
    Que bom que você conseguiu enxergar algo bom, eu faço campanha contra esse livro pra todo mundo que conheço! Hahahaha

    Beijos

    ResponderExcluir